Saiba tudo sobre a variante Ômicron (Covid-19) – VEJA O QUE FAZER PREVINA-SE 2022.

Publicidade

Nas últimas semanas revelaram a nova variante do vírus da Covid-19, a Ômicron. A OMS (Organização Mundial da Saúde) foi o responsável por dar este nome à variante B.1.1.529. Em relação às outras variantes, esta causa um pouco mais de preocupação. 

Isso acontece porque a variante apresentou uma alta capacidade em sua taxa de mutações. E de acordo com a OMS, este é o ponto que a classifica como um risco global. Porém, o órgão ainda não conseguiu mensurar quais seriam os perigos representados.

Publicidade

Sendo assim, o motivo mais agravante no Ômicron é que a sua capacidade de mutação consiga, de alguma forma, se tornar imune às vacinas aplicadas nos últimos anos em massa na população. Acompanhe o conteúdo abaixo para saber mais sobre o assunto. 

Imagem do (Google)

Quando a variante Ômicron foi identificada pelos especialistas?

A variante Ômicron foi reportada para a OMS no dia 24 de novembro de 2021, pela África do Sul. Porém, no dia 30 de novembro, as autoridades sanitárias holandesas disseram que a variante já estava no país desde o dia 19 de novembro.

Ou seja, a variante do coronavírus já circulava pela Europa antes do alerta feito pela África do Sul. O primeiro caso confirmado é de uma amostra coletada no dia 9 de novembro de 2021, da própria África do Sul. 

No Brasil, os primeiros casos da Ômicron surgiram no dia 30 de novembro. A variante foi identificada em dois passageiros que entraram no país em São Paulo de avião depois de passarem pelo continente Africano. Ambos, não tinham histórico de vacinação.

Variante Ômicron já está presente em todos os continentes 

Atualmente, já existem casos da variante Ômicron em todos os continentes do planeta. No caso, o Canadá se tornou o primeiro país da América do Norte a confirmar a infecção. Apesar disso, ainda não existem registros de morte ligadas a essa nova cepa. 

Publicidade

Na lista divulgada dos países com casos da variante se encontram: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Austrália, Áustria, Bélgica, Brasil, Botsuana, Canadá, Coreia do Sul, Dinamarca, Espanha, E.U.A., Gana, Honda, Hong Kong, Israel, Itália, e Japão. 

Na lista de países com a Ômicron presente, ainda estão incluídos também a Nigéria, Noruega, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, e Suécia. Sendo assim, a lista é bem grande, com um total de 25 países até o momento.

O que essa variante apresenta de diferente que a torna preocupante?

A variante Ômicron tem, até o momento, 50 mutações registradas onde, em mais de trinta delas, corresponde a proteína “spike”. Essa proteína se assemelha a algo como uma “chave”, que o Covid-19 utiliza para entrar nas células humanas. 

O problema, é que é justamente essa proteína do vírus que foi utilizada na maior parte das vacinas contra o Corona. Ou seja, as alterações nessa proteína em específico a tornam perigosa, pois os imunizantes podem sofrer com quedas de efetividade. 

Sendo assim, o principal ponto a descobrir é se a variante Ômicron é capaz de apresentar uma transmissão aumentada e também, ser capaz de contornar algumas partes do nosso sistema imunológico que já foi preparado com as vacinas. 

O que sabemos e o que não sabemos sobre essa variante até o momento?

A variante Ômicron já está sendo acompanhada de perto por vários órgãos competentes no mundo todo. Até mesmo o teste de vacinas especializadas já está em realização. Veja a seguir, os principais pontos sobre o assunto:

  • Existem evidências que a variante Ômicron facilita a reinfecção;
  • Medidas como uso de máscaras, distanciamento, higiene e ambientes ventilados funcionam contra a variante;
  • Todos os continentes já registram casos;
  • Até o momento, não existe o registro de mortes por conta da nova cepa;
  • É uma variante que apresenta um grande número de mutações;
  • Novas vacinas estão sendo desenvolvidas;
  • Ainda não se sabe se ela é mais transmissível do que as outras;
  • Também não se sabe se ela causa sintomas mais graves e mortes;
  • E por fim, também não se sabe se ela apresenta resistência as vacinas atuais;

Por conta da variante Ômicron estar em processo de análise, é importante ficar atento a todas as novidades que são divulgadas em relação a este assunto. Bem como, as formas de se prevenir contra este vírus. 

As pessoas que foram diagnosticadas têm os seus sintomas relatados como “leves”, comparados aos do Covid-19. Porém, ainda serão necessárias semanas de estudos para conseguir rastrear corretamente os sintomas e o comportamento dessa variação do vírus. 

Vale ressaltar que o maior número de casos da variante Ômicron até o momento é na África do Sul (77), um país que sofre com baixos números de vacinação. São 14,2 milhões de pessoas com o esquema completo de vacina, ou seja, apenas 24% dos habitantes.

Baixe o aplicativo “Coronavírus – SUS” e mantenha-se informado

É importante se manter informado corretamente sobre o Ômicron, para não cair em notícias falsas. Por isso, recomendamos a utilização de canais oficiais. Se você gostaria de conhecer mais dicas sobre apps para o seu telefone, visite a nossa página de Aplicativos!

Ao baixar o app “Coronavírus – SUS” os usuários têm acesso a notícias oficiais no Ministério da Saúde do Brasil. Além disso, ele também te informa sobre como identificar sintomas, bem como adotar medidas de prevenção da forma correta. 

Para realizar o download, entre na sua loja de aplicativos (App Store ou Play Store) e no campo de busca, digite o nome do app. Quando ele aparecer, clique no botão “Instalar”. Quando o processo terminar, basta clicar no ícone do app e pronto! Você já tem o acesso.